Linha 171 (Le Poiçonneur de Lilas)

Fábrica de Sonhos

Credits

Cristiano Andrade : Guitarre
Fernando Cavaco : Cavaquinho, Chant
Mathieu Gramoli : Batterie
Natallino Neto : Basse
Wander Pio : Percussion

Musiciens Invités

Frederic Viale : Accordeon

(Auteurs : Fernando Cavaco & Maíra Del Papa / Compositeur : Serge Gainsbourg)

Sou cobrador Ribamar
Opero nessa linha circular
Minha vida é uma mesmice
Uma chatice
Meu dia-a-dia é tão banal
Conto centavos de real.
Vejo tudo acontecer
Mas as pessoas fingem não me ver
Na hora da descida tudo muda
Pedem ajuda
Eu puxo a corda pra parar
E toc-toc-toc pra continuar.

Sobe um, desce um
Espera, tem mais um.
Sobe um, desce um
Linha 171 (171, 171, 171...)

Passe atrás de passe
Vivo nesse impasse.

Sou cobrador Ribamar
Só paro as duas para almoçar
Pego as cinco no Tatuapé
Jovens em pé
Idosos querem se sentar
E o buzão a chacoalhar.

Quase velhos (se) recusam pagar
Mulheres barrigudas fingem estar,
Fingem estar de 4 meses, de 9 meses
E ainda pedem pra passar
Outro menino sem pagar.

Pula um, salta um
Por baixo só mais um.
Pula um, salta um
Linha 171 (171, 171, 171...)

E se não bastasse
Janto pão com alface.

Sou cobrador Ribamar
Com o motorista formamos um par,
Prisioneiro atrás de uma catraca
Que sempre empaca
E meu radinho a atormentar,
Eu ouço brega sem parar.

Não deixar roubar e se arriscar
Diariamente vêm me ameaçar,
Surdo e mudo até fala
Vendendo bala,
O povo indo trabalhar
E o tiroteio a começar.

Rouba um, mata um
De goma ou dum-dum
Rouba um, mata um
Linha 171 (171, 171, 171...)

Na roleta russa
Isso nem me assusta.